Responsabilidade Ambiental

 

A Rivelli, desde o início de suas atividades, sempre se preocupou com o desenvolvimento sustentável. Com esta meta no topo das suas prioridades, não mediu esforços para se colocar à frente da Legislação Ambiental. Seu processo industrial é dotado de modernas tecnologias que asseguram a proteção do meio ambiente e o respeito à qualidade de vida da sociedade.

 

Água

Por ser essencial ao homem, e ao seu processo industrial, principalmente no que se refere à qualidade e higienização do produto final, merece um cuidado especial na Rivelli. A empresa possui uma ETA – Estação de Tratamento de Água, superdimensionada para suas necessidades. A água é captada em fontes naturais, com outorga concedida pelo IGAM – Instituto Mineiro de Gestão das Águas – e tratada para permitir seu uso na indústria, tornando-a potável. Após seu uso no processo industrial a água é tratada na ETE – Estação de Tratamento de Esgoto, voltando a ficar dentro dos padrões que foi captada, para poder ser devolvida à natureza. Todo este processo é auto-monitorado e aprovado pela FEAM – Fundação Estadual do Meio Ambiente.

 

Ar

O processo industrial da Rivelli não provoca nenhum tipo de poluição atmosférica. Quando Barbacena recebeu o gás natural, foi uma das empresas pioneiras na utilização deste combustível limpo e ecologicamente correto, substituindo sua caldeira à óleo por uma caldeira à gás natural.

Odores

No processo industrial do abatedouro são gerados resíduos: penas, vísceras não comestíveis, sangue e ossos. Tais resíduos são conduzidos a Fábrica de Farinha e Óleo, onde estes, através de cocção em digestores (cozimento a vapor), são transformados em farinha de penas e sangue, farinha de vísceras e óleo. Este processo de produção funciona num ciclo fechado, não permitindo o vazamento de odores característicos dos resíduos processados.

Na Rivelli o processo é eficiente e seguro: os vapores são conduzidos por tubulações, que posteriormente são tratados, sendo retiradas as partículas pesadas, resfriados e filtrados biologicamente em modernos equipamentos de tratamento de odores. Desta forma, comprovamos diariamente, dentro da nossa própria unidade industrial a eficiência do sistema, onde não há ocorrência de odores indesejáveis.

Lodo biológico

A ETE – Estação de Tratamento de Esgotos gera no seu processo um resíduo chamado lodo biológico. Analisadas suas características em laboratório especializado, a FEAM permitiu o uso do mesmo como adubo orgânico, incorporado diretamente no solo. Este adubo é utilizado no cultivo de pastagens de fazendas do grupo Rivelli. E para segurança do meio ambiente, as terras adubadas foram divididas em glebas, e periodicamente são analisadas para monitoramento da aplicabilidade do lodo biológico.

Coleta seletiva do lixo

Na sua planta industrial, a empresa dispõe de várias lixeiras para coleta seletiva do lixo, e todos seus colaboradores participam desta boa prática de respeito ao meio ambiente.

Reciclagem

A Rivelli possui também um setor de reciclagem, onde o lixo coletado seletivamente, tais como papelão, papéis, plásticos e vidros são prensados e comercializados por empresas autorizadas pela FEAM.

Outros resíduos e sucatas, como sobras metálicas, são armazenados para reaproveitamento; e periodicamente, os inutilizados são também comercializados por empresas autorizadas pela FEAM.

 

O que é possível reciclar e porque reciclar

Papel

Recicláveis: jornal, revista, folha de caderno, de computador e faz, caixa, envelope, cartaz, fotocópia. Cada tonelada de papel reciclado economiza, aproximadamente, 20 árvores adultas e 71% de energia em relação à produção de papel primário.

Vidro

Recicláveis: embalagens, garrafas e copos. Não-recicláveis: espelho, lâmpada, cerâmica e porcelana.

Inteiro ou em pedacinhos, é totalmente reaproveitado – não há perda de matéria-prima. Em relação à fabricação do vidro primário, uma tonelada reciclada economiza 13% de energia.

Metal

Recicláveis: latas de alimento, cerveja e refrigerante, fios de cobre e arame.

Não-recicláveis: clipes, grampos, esponjas de aço e canos.

Cada tonelada de alumínio reciclado economiza 95% de energia e evita a retirada de 5 toneladas de bauxita da terra.

Plástico

Recicláveis: embalagens de material de limpeza e de margarina, copinho de café, canos, tubos e sacos plásticos.

Não-recicláveis: cabo de panela, tomada, embalagens de biscoito.

Pátios e jardins

Com um visual moderno e agradável, a empresa se preocupa com o verde. Por isto, mantém em toda sua extensão, áreas ajardinadas e bem cuidadas, com gramados, árvores, inclusive espécies raras, como o Pau Brasil, árvores frutíferas e flores.

 

Esterco de frango

O esterco de frango, também chamado de cama de frango, que poderia ser um problema para o meio ambiente, devido ao grande volume que é retirado dos aviários, transformou-se em fonte de renda para os parceiros criadores. Este esterco vem se destacando como uma alternativa para alcançar altas produtividades das áreas de cultivo, mantendo e melhorando a fertilidade do solo e reduzindo o custo de produção. Por ser um material orgânico de alta concentração de nutrientes, vem apresentando excelentes resultados quando usado de forma correta na agricultura.

 

 

Trabalhos recentes realizados na fazenda Extrema (município de Alfredo Vasconcelos – MG) com produção de silagem estão demonstrando que, além de proporcionar altas produções por ha (>50t de matéria original), elevou os níveis de fertilidade das áreas onde o material foi aplicado, visto que quanto maior for a produção por área, maior é a extração de nutrientes do solo.

Foi analisado o solo antes do plantio e após a colheita do material, merecendo destaque os marcros nutrientes P205, K20 e N. Os resultados obtidos no experimento foram:

 

 

Roça nº. 1, adubação química

2004

Ph

P

K

Ca2+

Mg2+

Al3+

H+al

Antes do plantio

6,7

28,2

61

3,10

1,50

0,0

2,3

2005 após a colheita

6,3

15,6

50

3,30

0,40

0,0

2,9

Produtividade por área = 46t de silagem/ha – custo por tonelada: R$ 43,57

 

 

Roça nº. 3, esterco e complemento nutricional

2004

Ph

P

K

Ca2+

Mg2+

Al3+

H+al

Antes do plantio

6,3

16,1

63

3,80

1,80

0,0

3,2

2005 após a colheita

6,2

36,9

89

3,80

1,00

0,0

3,6

Produtividade por área = 52t de silagem/ha – custo por tonelada: R$ 38,96

Obs.: o esterco de frango foi usado no ano de 2004, espalhado a lanço, na quantidade de 3 a 4t/ha, contabilizando um custo de R$ 120,00/t.

 
Voltar
Webmail
Logotipo ato interativo
Representantes
Convênios

© 2014 - Rivelli - Direitos Reservados